Mostra Visual de Poesia Brasileira - Poéticas Sonoras Verbais Visuais


20/12/2006


escultura no pátio do teatro nacional de brasília-df - foto: artur gomes

Escrito por arturgumes às 19h05
[ ] [ envie esta mensagem ]

nati-vôo

voam tão alto
aqueles pássaros
que os homens
não os enxergam,
não os percebem,
mas eles (co)existem.
e gritam surdos
dentro em nós.

de ventos
em templos
guardam
sob as asas
os (a)mares,
e as brigas
e castelos
(de areia)
que ficaram
sob as ondas.

pousam nús
em verdes campos,
suavemente...
devoram a relva
sem pudores.
e deixam-se
embriagar
pelas cores
das flores.

dançam loucos,
bêbados e livres
divina coreografia.
sem batina,
geografia ou etnia
embalam poesia.

um chorus infantil
invade a lavoura.
pássaro-menino
quer aprender
(finalmente)
a voar.

abrem-se os céus,
forma-se
nuvem-manjedoura.

uma folha cai
e uma borboleta voa.


Chris-Borboleta
Christina Magalhães Herrmann
http://chrisherrmann.blogspot.com


Escrito por arturgumes às 19h04
[ ] [ envie esta mensagem ]

Escrito por arturgumes às 17h44
[ ] [ envie esta mensagem ]

A Busca

Limiar de sonhos loucos
Sopro de luz em fogo
Rasgando a obscuridade
Extraindo do ventre....
Promessas coração
Roçar de lábios serenados
Enveredando
Por matizes errantes
Resgatando vida
Em atalhos confessos....
Cegos ao proibido
Liberando
Sabor infinito
Na alma transportada
Pelo beijo na boca

Eliana de Faro Valença

http://almadepoeta.com/fulinaima.htm

 

Escrito por arturgumes às 17h44
[ ] [ envie esta mensagem ]

ateliê lourenço de bem - lago norte - brasília-df

Escrito por arturgumes às 16h38
[ ] [ envie esta mensagem ]

Afago as palavras como diamantes


Basta deste silenciar de letras opacas
de este voar descompassado
sem brilho, sem par ou abrigo

Chega desta guerra
de braços vazios
e palavras mutiladas.

Urgem atitudes sem perplexidades
apenas verdades alheias a conceitos
ou idades

 

Andréa Motta

http://almadepoeta.com/fulinaima.htm

 

Escrito por arturgumes às 16h37
[ ] [ envie esta mensagem ]

lagoa dos patos - rio grande do sul-rs - foto: cláudia gonçalves

Lagoa

Vestida de cristal
Reflete o azul do céu
O verde das folhas
Dançando ao vento

Lagoa dos patos
aqui me liberto...
transbordo em magia
rejuntando partículas

colhendo estrelas
dispo-me de mim
densa...sinto-me lua
e me vejo crescente...

liberta inteira
tuas águas me embalam
em ondas sonoras
entrego-me e calo.

Cláudia Gonçalves
http://www.almadepoeta.com/claudia_goncalves.htm

 

Escrito por arturgumes às 15h12
[ ] [ envie esta mensagem ]

serra da capivara - jeanne  maz - terra/cola

Escrito por arturgumes às 13h53
[ ] [ envie esta mensagem ]

HAI KAIS DE NATAL


cristo, jesus ou messias
faça-se a luz
em boa companhia

**
algo bom desceu do céu
estará no saco
de papai Noel?

**
espere em pé ou sentado
que um dia ele vem
de ônibus, avião ou trem

**
prepare a ceia
sinta-se bem
coma o que lhe convém

**
sorria para o luar
que a noite será leve
faça um pedido breve

**
olhe para o lado
sorria docemente
o céu ficará feliz

**
cante, dance e coma
natal é pra ser assim
sem rancor ou fome

 

Jiddu Saldanha

http://almadepoeta.com/fulinaima.htm

 

Escrito por arturgumes às 13h52
[ ] [ envie esta mensagem ]

19/12/2006


banner - exposição - jeanne maz - teatro nacional de brasília-df

Escrito por arturgumes às 16h19
[ ] [ envie esta mensagem ]

O miserável

 

A todos eu pudesse escrever os poemas

Como se escrevesse Tijolos Paredes Fogo Camas

Tecidos Os corpos que vivem As casas

Onde os corpos andam e param como fossem

A mesa O campo  de arremessos As bocas

Que falam As palavras mais quentes e Também

As mais frias A todos eu pudesse escrever

Os poemas invioláveis a estranhos mundos

Mesmo que fosse a você A miserável Eu

Pudesse escrever os poemas A palavra casa

Que fosse mais que casa pernas andando lá

Dentro Rudes como As pedras líquidas

Que evaporam A todos eu pudesse escrever

Os poemas e depois me abandonar

 

Wilmar Silva

http://arturgomes.zip.net

http://jurassecretas.zip.net

http://almadepoeta.com/fulinaima.htm

Escrito por arturgumes às 16h18
[ ] [ envie esta mensagem ]

18/12/2006


Escrito por arturgumes às 23h50
[ ] [ envie esta mensagem ]

transversais

 

meu amor anda estendida nos varais

pulando cercas de quintais

pelas encostas sudoestes

tem maranhão no meu nordeste

quando atravesso a w 3

em direção a asa norte

e minhas costas vão pro sul

 

o meu amor estende os braços

e me aperta contra os dentes

com teus trejeitos indecentes

como mulher de Carrefour

que mora na via do pecado

que fica lá do outro lado

da BR cento e um

 

Artur gomes

http://arturgomes.zip.net

http://jurassecretas.zip.net

http://almadepoeta.com/fulinaima.htm

 

Escrito por arturgumes às 23h49
[ ] [ envie esta mensagem ]

Escrito por arturgumes às 23h47
[ ] [ envie esta mensagem ]

(Behreriano)


Sem eixos
sem norte
perdida entre quadras
de loucura assimétrica.

Desequilibrada
no gume das tesouras
de acesso aos blocos da solidão
procurando teus olhos serrados
ao meu bem querer
nos braços da cidade artificial.

Paro no á(r)
em torres erguidas
de medos monumentais
tecendo os dias
sem planos
sem eixos.

Planejo vôos suicidas
e desmorono
esfacelada
em siglas indecifráveis
de mim mesma.

Lilia Diniz
Poéticas urbanas - http://liliadiniz.spaces.live.com/
Poéticas brejeiras - http://liliadiniz.zip.net/
Raiz - http://escritorf-aldebaran.blogspot.com/

Escrito por arturgumes às 23h46
[ ] [ envie esta mensagem ]